O que é um ILS? e como funciona?

1
423

ILS (Instrument Landing System): Sistema de pousos por instrumentos, que dá uma orientação precisa ao avião que esteja na fase de aproximação final duma determinada pista formado pelo Glide Slope, que emite sinais indicativos da rampa de aproximação, pelo Localizer (LOC), que indica o eixo da pista e pelos marcadores.

 

Em 1958 o primeiro sistema de ILS foi desenvolvido entretanto o sistema não foi utilizado até 1966 entretanto no mesmo ano os testes foram efetuadas do ILS na Base Aérea de Edwards em Mojave, Califórnia. Apenas em 1968 o primeiro sistema de ILS foi instalado nos principais aeroportos dos EUA, após ter sido comprovada a eficiência do sistema a FAA em 1974 tornou obrigatório seu uso em pelos menos duas das principais pistas de todos os aeroportos regionais e internacionais nos EUA.

 

Hoje em dia os principais aeroportos no mundo utilizam este sistema para permitir pousos em “péssimas”condições meteorológicas, entretanto o sistema encontra se dentro das mais altas exigências na área de segurança de voo. Sem o ILS, o caótico movimento em aeroportos iria se complicar ainda mais com vôos atrasados e impossibilitados de pouso devido a más condições de tempo, além de aumentar significantemente a  a margem para acidentes nas fases de aproximação.

 

As fases mais críticas do vôo por instrumentos são a aproximação e o pouso, a ICAO (International Civil Aviation Organization), visando regulamentar a operação nestas fases, definiu a visibilidade baseando se em dois componentes, uma vertical e outra longitudinal, a saber:

  • Decision Height (DH): é a altura específica na aproximação de precisão, na qual deve ser iniciada uma aproximação perdida, caso não haja referência visual exigida para continuar a aproximação e pousar.
  • Decision Altitude (DA): é a mesma componente vertical, porém especificada em termos de altitude. Ela consta na IAL (Instrument Approach Land – cartas de aproximação por instrumentos).

 

De uma forma mais didática podemos dizer que:

 

DA = DH + altitude da pista (zona de toque)

 

Runway Visual Range (RVR): traduzindo, (Alcance Visual de Pista), é a distância na qual o piloto de uma aeronave que se encontrar sobre o eixo de uma pista pode ver seus sinais de superfície, ou luzes auxiliares de aproximação.

 

Fazendo uso destes componentes a ICAO classificou as aproximações por instrumentos em três categorias:

  • Categoria I (CAT I)- procedimentos de aproximação por instrumentos com condições de atingir uma DH não inferior a 200 pés e RVR não inferior a 800m (2400 pés).

 

  • Categoria II (CAT II)- procedimentos de aproximação por instrumentos com condições de atingir uma DH menor que 200 pés e RVR menor que 800m (2400 pés), porém não abaixo de 100 pés e 400m (1200 pés) respectivamente.

 

  • Categoria III (CAT III)- procedimento de aproximação por instrumentos com condições de atingir DH inferior a 100 pés e RVR inferior a 400m (1200 pés).

 

Para melhor definir os requisitos dos equipamentos de bordo e de terra, a CATIII foi dividida em três sub-categorias:

  • CAT III (a)- sem especificação de DH ou para DH inferior a 100 pés e RVR não inferior a 200m (600 pés).

 

  • CAT III (b)- sem especificação de DH ou para DH inferior a 50 pés e RVR de 200 a 50m (600 a 150 pés).

 

  • CAT III (c)- para DH = 0 e RVR = 0.

 

 

A utilização de pouso automático independe da categoria de aproximação, podendo efetuar pouso automático em condições meteorológicas – CAT I, CAT II ou CAT III, respeitados os requisitos relativos a equipamento da aeronave, do aeroporto e à qualificação da tripulação e pessoal de manutenção.

De uma forma geral podemos dizer que quatro condições deverão ser satisfeitas simultaneamente para que se possa efetuar aproximações por instrumentos:

  1. O aeroporto deverá estar equipado com os auxílios de aproximação e pouso requeridos.
  2. O avião deve possuir todos os sistemas requeridos e estar certificado para o tipo de operação pretendida.
  3. A tripulação deverá satisfazer os requisitos de treinamento e proficiência específicos para o tipo de operação pretendida.
  4. Os sistemas da aeronave deverão ser adequadamente mantidos, de modo a não permitir a degradação dos níveis de performance existentes por ocasião da certificação da aeronave.

 

 

INSTRUMENT LANDING SYSTEM ILS)

ILS é um sistema baseado na transmissão de sinais de rádio que são recebidos, processados e apresentados nos instrumentos de bordo, de modo a definir uma direção que representa a prolongamento do eixo da pista de uma trajetória de descida tal que permite uma aterrissagem segura dentro da zona de toque de pista.

A precisão do ILS é garantida desde o limite de cobertura do mesmo até um ponto próximo à pista de pouso, ou sobre ela, o qual é definido em função da categoria de aproximação para a qual a pista está certificada, (CAT I, CAT II e CAT III).

O sistema de ILS é composto pelos seguintes componentes básicos:

  • “Localizer Transmitter” (ou Localizador) que opera em VHF na banda de freqüência de 108.10 e 111.95 MHz e com o dígito dos décimos ímpar.
  • Um “Glideslope Transmitter” que opera em UHF na banda de freqüência de 329,15 a 335,0 MHz.
  • Dois ou três transmissores de “Marker Beacon” (marcadores)operando na freqüência de 75 MHz.
  • Um sistema de monitoramento, comandado e controlado a distância cuja abrangência e precisão variam em função da categoria do ILS.

 

LOCALIZER (LLZ/LOC)

O complexo de antenas do LOC está situado a 1000 pés (aproximadamente 330mts) do final da pista, sobre o prolongamento de seu eixo e gera um diagrama de irradiação composto por dois lóbulos que emitem sinal de rádio. O lóbulo da esquerda recebe uma modulação de 90 Hz em amplitude, enquanto que o da direita é modulado com 150 Hz.

As antenas são ajustadas de tal forma que os dois sinais tem a mesma intensidade no plano que contém o eixo da pista. Se o avião estiver à direita predominará o sinal modulado com 150 Hz, se estiver a esquerda predominará o sinal de 90 Hz.

 

GLIDESLOPE (GS)

O complexo de antenas do transmissor do GS está localizado ao lado da pista, a 300 metros de distância da cabeceira e gera um diagrama de irradiação semelhante ao do LOC, porém, ajustado de tal forma, que o conjunto de pontos nos quais os dois sinais têm a mesma intensidade, definindo um plano inclinado que intercepta a pista a 300m da cabeceira, com uma inclinação que varia de 2,5° a 3,0°.

 

Marker Beacon – Marcadores

Os marcadores nada mais são do que o conjunto de dois ou três transmissores de sinais de rádio, que operam numa freqüência de 75 MHz. As antenas dos marcadores transmitem um feixe vertical que se constitui em verdadeira baliza eletrônica. O ILS é normalmente constituído por dois transmissores, denominados “OUTER MARKER” (marcador externo) e “MIDDLE MARKER” (marcador médio) – OM, MM respectivamente – um terceiro transmissor opcional, denominado “INNER MARKER (IM)” (marcador interno) poderá ser instalado.

0 que diferencia um transmissor dos demais é a freqüência de modulação dos sinais transmitidos:

  • OUTER MARKER – 400 Hz
  • MIDDLE MARKER – 1300 Hz
  • INNER MARKER – 3000 Hz

A freqüência portadora de 75 MHz é transmitida de forma ininterrupta, enquanto que os sinais de modulação são transmitidos da seguinte forma:

  • OUTER MARKER – dois traços por segundo em cadência contínua;
  • MIDDLE MARKER – uma série contínua de pontos e traços alternados; os traços são transmitidos numa cadência de dois por segundo e os pontos numa cadência de seis por segundo.
  • INNER MARKER – seis pontos por segundo em cadência contínua.

 

 

A passagem do avião sobre os transmissores é apresentada ao piloto através de sinais luminosos e auditivos.
Os sinais auditivos são diferenciados pelo tom, correspondente às freqüências de modulação e pela forma que são transmitidos (ponto e traços). Os sinais visuais são diferenciados pela cor:

  • OUTER MARKER – azul

 

  • MIDDLE MARKER – âmbar

 

  • INNER MARKER – branca

 

Abaixo é possível ouvir o som de cada maarcador

 

 

Fonte: Apostila de Navegação para PC/IFR Titus

Advertisements
Advertisements

Comments

comments

1 COMMENT

  1. Poderia fazer mais matérias dessas!

    Gostei bastante do conteúdo porque ficou didático para quem entende pouco do assunto

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.